Com a estreia da nova primavera chega o sol, os campos ficam verdes e aparece algum “visitante” não desejado.

Com a chegada do bom tempo proteja o seu cão dos parasitas, das alergias e doenças habituais.

Parasitas externos

Na verdade podem ser incomodativos durante todo o ano, mas com o calor é mais habitual que o nosso cão vá mais aos parques ou ao campo e interatue com outros cães, o que aumenta as probabilidades de apanhar pulgas e carraças. Também se pode contagiar de fungos tipo tinha.

 

  • Pulgas: produzem uma comichão intensa, motivo pelo qual não vai poder deixar de se coçar. Este coçar intenso pode produzir inflamação da pele, em casos extremos até podem criar-se feridas. Além disso, são bastantes os casos de cães que têm alergia à própria picada das pulgas. Por esta razão, quando o seu cão tenha estes “clandestinos”, vai ter que tratá-lo com produtos adequados para ele e recomendados pelo seu veterinário. Também não se deve esquecer do entorno, especialmente onde dorme, já que os ovos de pulga podem permanecer ativos durante meses e voltar a infestá-lo!
  • Carraças: transmitem doenças muito graves e alimentam-se de sangue, por isso é importante o tratamento o mais rápido possível. Para comprovar a sua presença, observe o pescoço e as orelhas do seu cão, já que aqui se notam com mais facilidade.
  • Tinha: é uma doença produzida por uns fungos microscópicos que causam uma afeção dérmica muito resistente e contagiosa. Ante qualquer calvície rara, vá ao veterinário!

Alergias

Tal como o ser humano, o cão também pode ter alergia, que é uma reação dos organismos perante uma substância que o sistema imunitário interpreta como nociva. Entre as substâncias comuns que podem produzir uma reação alérgica ao nosso cão estão os perfumes e os produtos de limpeza, mas também são frequentes as alergias ao pólen das plantas, assim como as picadas de insetos, sejam parasitas dele, como as pulgas, ou não, como por exemplo, as vespas.

  • Pólen das plantas: a primavera é a época do ano em que o ambiente tem mais quantidade de pólen. Se o seu cão é alérgico, na primavera vão acentuar-se os sintomas. Além disso, ao passar mais tempo no exterior tem mais probabilidades de entrar em contacto com o pólen das plantas que lhe provoquem alergia. Alguns cães têm uma forte tendência a padecer alergia que só afeta a pele e os veterinários chamam-lhe atopia. Em nenhum dos casos deve ficar parado, mas sim consultar o seu veterinário!
  • Picadas de pulga e produtos antipulgas: como já comentámos, as pulgas podem ocasionar com a picada uma alergia ao seu cão, irritando e inflamando a pele. Além disso, alguns produtos antipulgas também podem causar-lhe reação, motivo pelo qual lhe recomendamos que siga as indicações do veterinário. Também lhe recomendamos prevenir durante todo o ano as picadas, seja com coleiras antiparasitas ou com pipetas.

Como saber se o seu cão tem alergia?

Como há muitos tipos de alergia os sintomas são diferentes, mas deve estar atento ao aparecimento de comichão intensa e à falta de pelo nalguma zona do corpo. Também os vómitos e as diarreias podem ser sintoma de alergia, especialmente alimentar. Em qualquer destes casos, leve o seu cão ao veterinário para que lhe possa fazer as provas adequadas.

Quer estar tranquilo ante a chegada do bom tempo?

  • Uma alimentação rica em antioxidantes e ácidos gordos da série omega 3 fortalece o sistema imunitário e ajuda as defesas a manter afastados determinados vírus e bactérias.
  • Preste bem atenção à pelagem e se muda de comportamento para detetar a tempo transtornos causados por uma alergia, assim o seu veterinário pode dar-lhe o melhor tratamento e o seu cão pode desfrutar plenamente da primavera.